Segunda-feira, 18 de Outubro de 2010

MOURINHO EM ESTADO DE GRAÇA

 

Mourinho está em alta nos media espanhois depois das últimas exibições do Real Madrid.

 

Estes são alguns dos títulos que dão hoje corpo a esse estado de graça no olhar de dois dos principais jornais diários castelhanos.

 

O técnico português sorri mas não se deslumbra, após semanas a ser trucidado pelo sub-rendimento das suas estrelas milionárias.

 

Mou reconhece melhorias nas ultimas prestações da equipa madrilena, mas recorda que a boa, como a má-forma, resultam de trabalho e talento, mas também uma percentagem de sorte.

 

A inteligência está em reduzir, ao mínimo, a dependência do factor sorte, na busca do resultado positivo.

 

 

Mourinho o la inteligencia del camaleón

 

Guardiola no sabe gestionar a 22 estrellas, Mourinho sí!

 

El Bernabéu se enamora

 

Mourinho: "España no conoce a Ibra"


publicado por António Mateus às 18:50
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

GRACIAS A LA VIDA

Um dos poemas de amor mais bonitos algumas vez cantados.


Aqui na voz de Mercedes Sosa que projectou à escala mundial a última letra composta por Violeta Parra, um ano antes desta se suicidar pelo fim da sua relação com Gilbert Favre.




publicado por António Mateus às 19:27
link do post | comentar | favorito

MANDELA - A construção de um Homem

Uma viagem à forma como Mandela se transformou a si mesmo antes de tornar inimigos em parceiros de solução.
Um livro a ser lançado no próximo dia 11 de Novembro em Lisboa e que adiciona um olhar, ao mesmo tempo sentido e analítico, vivido ao longo de 10 anos, como jornalista, próximo de um ser humano incontornável.

Uma vida perpetuada também esta semana através de uma compilação notável de documentos da Fundação Mandela:


publicado por António Mateus às 07:12
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

REENCONTRO DE SONHO

 

É um reencontro de sonho após mais de dois meses encurralados no subsolo rochoso de uma mina de ouro e cobre chilena.

 

Os primeiros de 33 mineiros começaram a ser içados individualmente à superfície através de um túnel recém brocado e com recurso a uma cápsula construída especialmente para o efeito.

 

Imediatamente antes as equipas de salvamento fizeram descer um especialista ao abrigo onde os mineiros se encontram retidos há 69 dias, para ajudar os homens debilitados a cumprir em segurança os procedimentos necessários.

 

É uma operação sem precedentes que está a ser acompanhada em directo através de televisões e rádios de todos os continentes.


publicado por António Mateus às 05:54
link do post | comentar | favorito

FACTURA DIPLOMÁTICA

D.R.
Perdoai-lhes a ignorância.
É indicativo que tenha escapado a parte substancial dos comentadores mediáticos o valor da eleição de Portugal para o seu terceiro mandato no Conselho de Segurança das Nações Unidas.
É só a maior moeda de troca que Portugal pode dispôr no xadrez multilateral e para obter concessões estratégicas em arranjos bilaterais.
E ainda mais notável é que muitos dos que menorizaram agora o sucesso diplomático português, alimentaram antes o folhetim Maria Carrilho, como se o antigo Embaixador junto da UNESCO não tivesse violado uma regra básica do cargo enquanto comprometia interesses de Estado.
O facto é que para se conquistarem posições, com o relevo da agora obtida, é preciso esgrimir redes de influências à escala mundial, um teste de excelência diplomática onde o Palácio das Necessidades provou estar entre a elite mundial.

Pelos vistos só não entendeu isso Carrilho que induziu ainda em erro muitos jornalistas (menos versados nestas lides) sobre as atribuições e regras de conduta de um Embaixador.

O político português mais engomadinho deu uma de independente e ignorou instruções do ministro da tutela para apoiar a escolha do ministro da Cultura egípcio na Direcção-Geral da UNESCO (a troco do apoio do mundo árabe à candidatura portuguesa ao Conselho de Segurança).

Imagine-se se o caso tivesse sido protagonizado por um diplomata de carreira e não um político exilado em prateleira dourada para pacificação de espírito do Primeiro-Ministro (e que ainda assim encontrou colo em inúmeros jornalistas ao constituir-se vítima de suposta perseguição).

Como reza a sabedoria popular; " em terra de cegos "...

publicado por António Mateus às 01:14
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Outubro de 2010

EXEMPLO VEM DE CIMA

 

Que chatice esses países onde o exemplo vem de cima!

 

...que mania estranha....

 


publicado por António Mateus às 09:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

REPORTAGEM NOTÁVEL

 

Uma reportagem exemplar assinada por aquela que é de longe a melhor jornalista portuguesa.

 

Sim é um trabalho da concorrência da empresa que sirvo diariamente. E sim é um exemplo do poder da sensibilidade, talento e do saber. E sim é prova da asneira que é o actual desinvestimento em África entre as prioridades dos media portugueses.

 

Cândida Pinto constroi a Avenida Mogadíscio, com imagens e sons mondados naquelas paragens por José Eduardo Zuzarte, o talento de edição de Andres Gutierrez e o bordar gráfico raro de Paulo Alves.

 

Conheço no terreno, em África, a Cândida a trabalhar temas como este e outros há duas décadas. Como todas as pessoas verdadeiramente talentosas e grandes, sabe fazer brilhar os outros à sua volta e dar-lhes a ribalta.

 

Obrigado pela lição. Mais uma vez.

 


publicado por António Mateus às 22:37
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Outubro de 2010

MANDELA DE PERTO

 

"Não sou um santo a não ser que vejam num santo um pecador que continua a tentar" - Nelson Mandela


publicado por António Mateus às 05:36
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

O DESCANSO DO GIGANTE

Foi um dos gigantes que mais me honrou conhecer e entrevistar. E nele sempre rever uma rectidão de valores existenciais que todos anseiam mas raros praticam.

Desmond Tutu deixa-nos uma herança e coerência, irreverência e amor pelos mais frágeis.

E um riso contagiante, naquela voz única que nunca se vergou a ninguém.

Agora retirou-se da vida pública para, nas suas palavras, abrir espaço a novas vozes que o rendam na viagem. E poder apreciar, na privacidade de quem lhe adoça os dias, o chá sul-africano rooibos, que só cresce nas terras agrestes do Karoo.

 



publicado por António Mateus às 15:23
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Outubro de 2010

FALÊNCIA JORNO-POLITICA

 

A gravidade da actual crise reside mais nas exigências que coloca aos políticos e aos jornalistas do que à aritmética implicada.

 

Por um lado, há quase uma gração que somos governados por políticos mais preocupados em serem reeleitos e pensarem em sound-bites mediáticos do que em administrar o país para as gerações vindouras e geri-lo como o fariam, sensatamente, com o respectivo património familiar.

 

Por outro, os media são cada vez mais dominados por jornalistas sem mundo que alimentam o circo predatório em vez de funcionarem como um verdadeiro quarto poder; uma consciência social que deixasse a nú vazios de ideias e exigisse actos administrativos consequentes em vez de multiiplicar tempos de antena onde se massajam egos de entrevistados e entrevistadores.

 

E se não acreditam experimentem parar um bocadinho e fazer um pouco de aeróbica aos neurónios; imaginem que este país é a casa onde descalçam os sapatitos ao fim do dia e para cujo sustento se foram endividando, ao ponto de já mal suportarem as respectivas prestações.

 

O banco, como é lógico, começou a duvidar da saúde financeira de alguém que gasta em média mais 500 euros do que ganha por mês e apertou-te os calos. Aumentou os juros. Vai daí, o que fizeste? Informaste a prole que a partir daquele dia, as despesas não só iam ser cortadas ao limite do rendimento da família como, finalmente e de forma sensata, se passaria a gastar um pouco menos do que as receitas, para se poder reinvestir e precaver o futuro.

 

Juízo? Inteligência? Não. Claro que não. Se lermos e ouvirmos os media portugueses e os políticos por eles ecoados.

 

Depois de quase uma década a acompanhar como jornalista pessoas do calibre de Nelson Mandela e Desmond Tutu permitam-me ter uma latitude muito restrita para o que poderia ser tão facilmente este país mas não o é; por pura mediocridade e nepotismo.

 

Como é possível debater-se dias a fio se as medidas de contenção de Sócrates são ou não demasiado penosas quando o que elas são, na realidade, é obscenamente curtas e só reflectem, e mais uma vez, a principal preocupação dos nossos governantes, directores, etc; não perderem o poder.

 

Se o país consome muito mais do que o que produz e o crédito atingiu níveis insustentáveis só há uma coisa, corajosa, responsável a fazer; chamar os bois pelos nomes e reduzir o consumo ao que efectivamente se produz; seja isso o que for, mesmo que se passe fome;mesmo que se ande a pé, mesmo que se percam as vaidades.

 

Porque era isso certamente que fariam se fosse a casa, onde vivem os nossos filhos, e o futuro destes, que estivesse em jogo.

 

E não o é?

 

 


publicado por António Mateus às 23:25
link do post | comentar | favorito

pesquisar

 

links

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Outubro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds