Segunda-feira, 15 de Março de 2010

CAMARADAGEM!

  

   Com a devida vénia aos autores e intervenientes, não pude deixar de me arrepiar com este registo de vídeo e a mensagem por ele arrastada.

 

   Veio-me de "manos" (assim tornados por termos frequentado o Colégio Militar) e ali aprendido a sê-lo; manos. Solidários.

    Para o resto de nossas vidas.

 

   Sei que é para mim uma escola de excelência (com todos os defeitos e virtudes de obra humana) e para muitos uma instituição "fora-de-moda" , como o somos (cada vez mais) todos os que acreditamos em valores.

 

   Até ao dia em que a força das convições e do respeito pelo mundo à nossa volta os ressuscite...

   E assim nos tornemos uma nova "moda"; a de se ser irmão!

 


publicado por António Mateus às 19:55
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 16 de Novembro de 2009

SER CHEFE

 

   No Colégio Militar aprendi algo cada vez mais actual e urgente!

 

   - Pobres dos chefes que se esquecem que o respeito é uma estrada de dois sentidos e que só o são - CHEFES - transitoriamente.

 

   Podem obter um baixar dos olhos, mas mais abaixo fica ainda a consideração de quem os escutou!


publicado por António Mateus às 13:25
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 9 de Outubro de 2009

SOMOS O QUE COMEMOS

 

   De amigos se constroi a vida. Gentes que nos somam colectivos. Nos ensinam a olhar para dentro de nós.


   Somos os que fazemos, o que semeamos e também, o que comemos.


   Comecei por ser cético, aos poucos fui sendo “contrabandeadi” para dentro de uma ética de vida diferente.

   Tão diferente que ao princípio, como no anúncio da Coca-cola, “primeiro estranha-se... depois entranha-se”.


   Olhem os sorrisos.
   Obrigado!
 


publicado por António Mateus às 13:17
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 11 de Junho de 2009

MORREU RANGEL

 

  Foi um dos cada vez mais raros jornalistas lusófonos a quem tiraria o chapéu, se o usasse.

 

  O foto-jornalista moçambicano Ricardo Rangel morreu em paz aos 85 anos durante o sono.

 

   Conheci-o enquanto fui chefe da delegação da agencia Lusa em Moçambique nos anos 80. Ele um reporter tarimbado e eu um recém-apaixonado por um país de rastos onde até uma simples pasta de dentes era um produto precioso no rarefeito mercado local.

 

   Ricardo Rangel participou em dezenas de exposições em diversos países, incluindo o Museu Guggenhheim, em Nova Yorque, e foi condecorado com o grau de Oficial das Artes e Letras pelo governo francês.

 


   A sua impressão digital neste mundo é bem maior do que aquele olhar severo com que nos fuzilava; é a de um observador nato, um homem com um fundo e valor humano raros.

 

   Um daqueles jornalistas em extinção, humilde, aberto à crítica, alheio às guerras das audiências, aos sound-bites, ao amiguismo e ao vazio de referências.

 


publicado por António Mateus às 20:41
link do post | comentar | favorito

UMBIGUISMO EM EXPANSÃO

 

   Como é habitual, no nosso Eurocentrismo, vamos ignorar ou até menosprezar o alerta do rei zulu Goodwill Zwelithini mas se por acaso fôssemos mesmo uma sociedade culta, como gostamos de acreditar, teríamos uma atitude bem diferente.


   Zwelithini é a primeira figura de uma das maiores e mais antigas etnias de África, portadora de valores colectivos que só perdemos em ignorar.


   Entre nós será unânime criticar o colonialismo e o racismo mas quando milhares de zulus sofrem de fome numa das regiões mais ricas do mundo em termos agrícolas e todos ignoramos os protestos de Zwelithini quem será que está errado? Ele ou nós?


   É claro, como as televisões não o mostram e isto se passa no hemisfério sul, não temos nada a ver com isso.


   E assim vai a nossa civilização.

 

 



publicado por António Mateus às 20:24
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 2 de Junho de 2009

FUNERAL DA NOSSA DIGNIDADE

 

   Quando um Estado não se respeita a si mesmo quem o há-de fazer?
 
   Que dizer das “honras” prestadas hoje em Lisboa a um homem que foi o primeiro e último responsável pela prisão, execução sumária e enterro em valas comuns de centenas de homens que serviram a farda e ordens portuguesas?
 
   Luis Cabral presidia a Guiné-Bissau quando os antigos oficiais comandos negros foram “apanhados à unha” apesar das garantias dadas ao governo português de que seriam integrados nas forças de unidade nacional.
 
   Para evitar “conflitos” Portugal virou a cara às atrocidades cometidas contra aqueles homens por terem cumprido apenas e tão-só ordens de Lisboa.
 
   Para cuspir ainda mais na dignidade nacional, Luis Cabral foi depois acolhido em Portugal como “refugiado”, sustentado pelos contribuintes portugueses e agora sepultado “com honras”.
 
   Diria que quem desceu afinal hoje à sepultura foi a honra de quem continua indiferente e/ou a fingir que nada tem a ver com isso.

publicado por António Mateus às 16:58
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

DESASTRE AMBIENTAL

 

   Mais de 300 mil pessoas morrem anualmente devido a efeitos das alterações climáticas.

 

   O alerta foi dado hoje no relatório anual do Forum Humanitário Global.

 

   O documento sublinha que 325 milhões de pessoas sofreram no último ano prejuízos directos desta modificação climática, um balanço que deverá duplicar até 2030.

 

  Um relatório suposto ser de choque mas que pouco ou nada deverá influir nas decisões governamentais à escala global, enquanto o saldo financeiro imediato se sobrepuser a objectivos a longo prazo, mesmo estando em causa a herança a legar aos nossos filhos.


publicado por António Mateus às 12:27
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Maio de 2009

CORPOS DE PECADOS

 

Em Israel um homem foi expulso de um concerto de rock por ser...homem.
 
Isso mesmo, não leu mal nem é uma truncagem de texto. O incidente aconteceu na cidade de Ramat Gan durante um espectáculo da banda Ashira.
 
Até aqui tudo normal...e assim o continua a ser quando souber que é um grupo formado há três anos por seis “roqueiras” e que atrai audiências cada vez maiores.
 
 O ponto de clivagem reside na exigência imposta pelas Ashira de os seus espectáculos serem estritamente reservados a audiências femininas.
 
Os motivos, à primeira vista sexistas, serão afinal...religiosos. Assim o assegura a líder da banda, Pnina Weintrub.
 
Desta forma a audiência pode sentir e dar literalmente corpo ao que sente, através da música, de forma kosher, ou seja, dentro dos cânones judaicos.

publicado por António Mateus às 16:45
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

MENINOS DE TODOS NÓS

 

 

   Cada vez que escuto esta música recordo os milhões de meninos que rebuscam migalhas dos nossos desperdícios enquanto nós, todos os dias, despejamos no lixo "os restos" que já não nos apetecem.

 

   Lembro-me do  Kevin Carter (fotógrafo brilhante que conheci enquanto destacado na África do Sul) que se suicidou por não poder viver com memórias de uma fotografia por ele tirada no Sudão a uma criança a esvair-se de fome.

 

   Recordam-se de uma foto de um menino negro, agachado, esquálido, com um abutre por detrás a olhá-lo?

 

   É dessa fotografia  que vos falo. Faz hoje 15 anos que o Kevin nos deixou, por lhe doer o virar da cara.

 

    Afinal não são todos os meninos, filhos de todos nós?

 

Em tua memória Kevin:

 

 

 

 

 


publicado por António Mateus às 09:42
link do post | comentar | favorito

SEXO DEMOLIDO

   

 

FOTO: AGENCIA REUTERS

 

   O primeiro parque temático dedicado ao sexo na China começou a ser demolido meses antes de chegar sequer a abrir.


   O “Love Land” tinha inauguração prevista para Outubro, na cidade de Chongquing, mas acabou por ser vítima do zelo puritano.

   O projecto incluía esculturas de cenas eróticas e de partes íntimas em escala “insuflada” e previa ainda a realização de workshops sobre higiene, cuidados e técnicas sexuais.

   A demolição do parque vem sublinhar a contradição de atitudes relativamente ao sexo na China moderna, onde um puritanismo calvinista coexiste com uma abordagem quase clínica aos respectivos aspectos físicos.

   Apesar da interdição da pornografia e de a educação sexual ser quase inexistente no país, são cada vez mais as lojas de artigos de sexo e o sexo fora do casamento é uma prática aceite socialmente.

   E enquanto a prostituição floresce, apesar de tecnicamente ilegal, a manutenção de amantes por empresários de sucesso e responsáveis do partido (comunista) é sinónimo de estatuto social.


publicado por António Mateus às 00:52
link do post | comentar | favorito

TRANSLATE THIS BLOG TO ANY LANGUAGE

António Mateus

Escritor e jornalista. Nasceu em 1960 em Castelo Branco, filho de uma socióloga e de um Oficial de Cavalaria. Licenciado pela UTL e iniciou a sua actividade jornalística no jornal O Globo em 1982. Continuar a ler (...)

Os meus livros

Selva Urbana, edições Colibri. "Selva Urbana – ponte entre olhares e sensibilidades de dois mundos, duas culturas, dois continentes, situações humanas comuns – é uma sequência de retratos publicados em colunas semanais num jornal diário de cariz económico, Jornal de Negócios (...) Comprar

Homens vestidos de peles diferentes, editora Ulmeiro. Comprar.

pesquisar

 

links

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Outubro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds