Segunda-feira, 25 de Outubro de 2010

CONSTRUÇÃO DE UM HOMEM

 

Momentos mágicos...para reviver no livro MANDELA - A construção de um Homem que será lançado dia 11 de Novembro, às 19h00, no Colégio Militar.

 

Graças ao Vasco Lynce consegui um bilhete para uma final cuja lotação se esgotara ano e meio antes.

 

A África do Sul regressava às competições internacionais após quase uma década de isolamento devido ao apartheid.

 

Uma história de valores, determinação e grandeza que nas pessoas interiormente grandes é sempre sinónimo de humildade, aprender com quem pensa diferente e saber tirar o melhor de todos à sua volta.

 



 



publicado por António Mateus às 23:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 10 de Outubro de 2010

MANDELA DE PERTO

 

"Não sou um santo a não ser que vejam num santo um pecador que continua a tentar" - Nelson Mandela


publicado por António Mateus às 05:36
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 29 de Setembro de 2010

INCONQUISTÁVEL

 

Há palavras com a força de uma vida.

 

O poema Invictus segurou a verticalidade de Nelson Mandela na prisão, depois de ter sido o grito de luz de um jovem, que o compôs, na face de uma doença que lhe custaria a mutilação de um pé.

 

É um farol de força, de convicção e de tudo o que de melhor pode nascer num coração humano.

 

Mesmo, especialmente, na hora em que tudo justifica o baixar dos braços, resgata algo mágico dentro de nós.


publicado por António Mateus às 17:04
link do post | comentar | favorito
Sábado, 17 de Julho de 2010

DIA DE SERMOS HUMANOS

 

Domingo dedique 67 minutos do seu tempo a fazer deste um mundo melhor.

 

Tantos quantos o mesmo número de anos dedicados por Nelson Mandela à mesma causa.

 

Esse é o desafio lançado pelas Nações Unidas a nível global para assinalar como data mundial, o 92º aniversário de Mandela que se comemora naquele dia.


publicado por António Mateus às 01:12
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 14 de Julho de 2010

MANDELA NAS CONCHAS

 

Vimo-lo sorrir no fecho do Mundial na África do Sul.

 

Um perfume tão bem reproduzido no filme Invictus que sexta-feira pode ser visionado nas sessões ao ar livre da Quinta das Conchas, na Lisboa alta.

 

Já vi e revi a película meia duzia de vezes depois de ter testemunhado directa e pessoalmente quase todos os factos nela narradas.

Por isso sinto-me à-vontade para vos provocar, a quem puder, ir até lá.

 

Peguem nos vossos melhores sorrisos, numa companhia merecedora e estendam-se sob as estrelas.

 

Já agora, não se enrodilhem no espartilho financeiro que se generaliza; o acesso é à borla!

 


publicado por António Mateus às 12:53
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 29 de Junho de 2010

PORTUGAL EMPRESTA LUZ DE MANDELA

 

A magia de Mandela enfeitiça Portugal!

 

Carlos Queiroz convidou o capitão histórico dos campeões mundiais de rugby de 1995 a partilhar com o selecionado português o segredo que converteu um "quinze" sul-africano (então) frágil animicamente no único conjunto que travou e bateu os "all blacks" do gigante Jona Lomu.

 

Uma epopeia retratada no filme Invictus ( "inconquistado" ou "inconquistável" em latim) onde Morgan Freeman e Matt Damon representam fielmente os papeis de Nelson Mandela e François Piennar.


Foi só uma das histórias reais mais comovedoras e cheia de luz que já testemunhei enquanto ser humano, primeiro, e jornalista, depois.

O próprio Mandela pediu a Morgan Freeman que interpretasse a sua personagem no filme cujo título é "importado" de um poema (1) publicado em 1857 pelo britânico William Ernest Henley e que era leitura de referência de Mandela durante os 27 anos por este cumpridos em prisão.

 

O filme aborda o visionarismo de como um líder político negro – Nelson Mandela – e um líder desportivo branco – François Piennaar (capitão da selecção de rugby sul-africana) protagonizaram um abraço racial “mágico” num país que ameaçava explodir em guerra civil.
O lendário capitão sul-africano partilhou agora com a selecção portuguesa os segredos motivacionais que tornaram a equipa do seu país num conjunto imbatível, a começar pelo vivenciar do poema de Invictus, que foi um dos pilares de verticalidade do próprio Mandela.

(1) Invictus
Out of the night that covers me,
Black as the Pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds, and shall find, me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll.
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.


publicado por António Mateus às 11:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 8 de Março de 2010

MASTER OF MY SOUL

"I am the Master of my soul

Captain of my heart"

 

...reza o poema Invictus que "segurou" a verticalidade de Nelson Mandela durante quase três décadas em prisão.

 

"Wind of Change", dos Scorpions, é um hino à  convição de que tudo é mutável no sentido em que assim investirmos.  E se assim o é....

 


publicado por António Mateus às 13:14
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 14 de Fevereiro de 2010

FAROL DE LUZ

 

   Palavras perfeitas, pedras preciosas no sentir.

 

   "Invictus" de Wlliam Ernest Henley, que "farolou" a verticalidade de Nelson Mandela durante 27 anos de prisão e a coerência do seu até hoje existir.

 

  E serviu de título ao filme que nos deslumbra actualmente nos cinemas.

  A mim, me arrepia e comove. 



Invictus


Out of the night that covers me,

black as pit from pole to pole,

I thank whatever gods may be

for my unconquerable soul.


In the fell clutch of circunstance

I have not winced nor cried aloud.

Under de bludgeonings of chance

my head is bloody but unbowed.


Beyond this place of wrath and tears

looms but the horror of the shade

and yet the menace of the years

finds - and shall find - me unafraid.


It matter not how straight the gate,

how charged with punishments the scroll.

I am the master of my fate;

I am the captain of my soul.

 

 

 


publicado por António Mateus às 14:33
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

MANDELA DE TODOS NÓS

 

   Quinta-feira completam-se 20 anos da libertação de Nelson Mandela, seis dos quais eu tive o privilégio de acompanhar diariamente como jornalista.
 
   Poderia estar dias a fio a partilhar convosco mil histórias do político, do gigante de humildade, do lider que o era em serviço dos outros e que acarinhava a diferença como uma jóia e não uma adversidade.
 
   Mas mais do que tudo, recordo o Homem que nos fazia sentir gigantes de possibilidades, de luz e de bondade se assim o quiséssemos.
 
   E ele fazia-nos isso também; o milagre de o querermos...
    ... por nós todos. Como irmãos! 
 
 

publicado por António Mateus às 13:39
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010

JANELA DE OPORTUNIDADE

 

   Acusado pelos seus (afrikaners) de “verraier” (traidor), o último presidente branco da África do Sul evitou há 20 anos uma catástrofe no seu país.
 
   Frederik de Klerk recorda dessa forma o anúncio que fez no parlamento de libertar Nelson Mandela e legalizar os movimentos que combatiam pelas armas o sistema de apartheid.
 
   “Os nove dias que mediaram entre o meu discurso no parlamento e a libertação de Nelson Mandela, a 11 de Fevereiro de 1990, mudaram a África do Sul para sempre” – afirmou  de Klerk, agora com 73 anos.
   “Quando a história abre uma janela de oportunidade é importante que a atravessemos”.
 
   De Klerk opcupava o cargo de presidente há apenas cinco meses quando fez um discurso histórico que provocou a ira dos conservadores e apreensão entre muitos que receavam a repetição na África do Sul do caos registado nas transições de Angola e Moçambique.
 
    Mandela e de Klerk partilhariam em 1993 o Prémio Nobel da Paz, um ano antes de o lider histórico anti-apartheid se tornar o primeiro presidente não branco da maior economia africana.

publicado por António Mateus às 14:17
link do post | comentar | favorito

TRANSLATE THIS BLOG TO ANY LANGUAGE

António Mateus

Escritor e jornalista. Nasceu em 1960 em Castelo Branco, filho de uma socióloga e de um Oficial de Cavalaria. Licenciado pela UTL e iniciou a sua actividade jornalística no jornal O Globo em 1982. Continuar a ler (...)

Os meus livros

Selva Urbana, edições Colibri. "Selva Urbana – ponte entre olhares e sensibilidades de dois mundos, duas culturas, dois continentes, situações humanas comuns – é uma sequência de retratos publicados em colunas semanais num jornal diário de cariz económico, Jornal de Negócios (...) Comprar

Homens vestidos de peles diferentes, editora Ulmeiro. Comprar.

pesquisar

 

links

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Outubro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds