Sexta-feira, 30 de Outubro de 2009

OBRIGADO POSITIVO !

 

  Se o futuro do Brasil for o que se está a desenhar diariamente na Universidade Positivo de Curitiba mudo-me sem pestajenar para este país lusófono.


   Já o disse aqui (neste blog) ontem mas nunca é demais sublinhar; meios pedagógicos ímpares e uma aposta no didatismo como prioridades de quem pensa e municia esta Universidade.


   O debate desta semana foi a “Liberdade” mas, ao contrário daqueles em que participei noutros cantos do Mundo, aqui as fronteiras do debate seguiram o tema em si…com total liberdade.
   Coisa de somenos? Longe disso! Muito antes pelo contrário.

 

   É exactamente nessa coerência, latitude e coragem que se transformam alunos promissores em agentes da mudança (para muito melhor!) na sociedade.
   Obrigado pela lição de saber estar e pensar que recebi de alunos e professores....como orador.

   Obrigado em especial ao Vitor Carvalho, agora aluno da Positivo, que a vida me ofereceu como "irmão"!

 

 

P.S: Vejam só a qualidade deste poster académico da Universidade e ajuizem pela amostra...
 

 

 

 


publicado por António Mateus às 17:41
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Outubro de 2009

POSITIVO DEBATE LIBERDADE

 

 

   É um espanto a Universidade Positivo em Curitiba!

 

   Parece um resort de turismo de cinco estrelas Europeu mas onde se busca a excelência do didatismo académico; o saber pensar informado. 

 

   Hoje é dia de debate num dos auditórios: o "objecto" é a "Liberdade", um "bem" quase sempre só apreciado na sua plenitude quando..ausente ou reprimido.

 

   O vídeo abaixo anexo é um testemunho crú de algo que tantas vezes só parece configurável em guião de cinema.

 

   Como será talvez o olhar de muitos estudantes brasileiros que na sua esmagadora maioria não eram nascidos na altura da ditatura militar.

 

 


publicado por António Mateus às 09:53
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009

AMOR CHOVIDO

 

 

    Em Curitiba recebi virtualmente este beijo emprestado de "O amor que choveu" de Antônio Prata ....sem palavras...

 

    “Era uma vez um menino que amava demais. Amava tanto, mas tanto, que o amor nem cabia dentro dele. Saía pelos olhos, brilhando, pela boca, cantando, pelas pernas, tremendo, pelas mãos, suando. (Só pelo umbigo é que não saía: o nó ali é tão bem dado que nunca houve um só que tenha soltado).

 

   (…) Tomou então a decisão: iria atirar seu amor ao mar. Um polvo que se agarrasse a ele — se tem oito braços para os abraços, por que não quatro corações, para as suas paixões? Ele é que não dava conta, era só um menino, com apenas duas mãos e o maior sentimento do mundo.

 

   Foi até a beira da praia e, sem pensar duas vezes, jogou. O que o menino não sabia era que seu amor era maior do que o mar. E o amor do menino fez o oceano evaporar. Ele chorou, chorou e chorou, pela morte do mar e de seu grande amor.

 

   Até que sentiu uma gota na ponta do nariz. Depois outra, na orelha e mais outra, no dedão do pé. Era o mar, misturado ao amor do menino, que chovia do Saara à Belém, de Meca à Jerusalém.

 

 Choveu tanto que acabou molhando a menina que o menino amava. E assim que a água tocou sua língua, ela saiu correndo para a praia, pois já fazia meses que sentia o mesmo gosto, o gosto de um amor tão grande, mas tão grande, que já nem cabia dentro dela.

 

 


publicado por António Mateus às 09:32
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2009

DÁ QUE PENSAR...

 

   O video anexo poderia até pintar sorrisos, não fosse arrastar a dignidade de um ser humano a um (des)nível sem palavras.

 

   Nunca será demais erguermo-nos em sentido inverso, pela lucidez e a verticalidade dos valores que sonhamos possam vir um dia a ser colectivos.

 

   O video dá que pensar não dá?  Se empurrarmos um pouco mais fundo na nossa própria consciência, o dedo da humildade, se calhar surpreendemo-nos com o ror de vezes em que nos presumimos régua métrica dos outros.

 

   Sejamos bem mais tolerantes com a magia que é em si a fragilidade humana.

   Um dos maiores problemas da humanidade não é o cometer de erros, mas a incapacidade em os aceitar nos outros enquanto os relativizamos em nós.

 

 


publicado por António Mateus às 14:38
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 19 de Outubro de 2009

LUCIDEZ E ESPERANÇA

  E que tal revisitarmos esta proposta, de um dos maiores pensadores contemporâneos, que vem a Portugal de 13 a 16 de Novembro?

 

"A nossa filosofia ensina a não utilizar drogas, álcool ou fumo e a buscar hábitos saudáveis.

 

"Se você não está sob influência de droga alguma - inclusive o álcool é uma droga, droga legal, mas é droga e o mais poderoso dos psicotrópicos - a vida em vez de ficar sem graça, é tornada muito mais interessante, porque encarada com maior lucidez.

 

   Então se essa pessoa não está sob o jugo de nenhuma dessas substâncias tóxicas, que interferem com a consciência, tem mais felicidade, mais lucidez, percebe o mundo de uma outra maneira e, consequentemente, o mundo e a vida ficam muito mais divertidos.

 

  Essa pessoa fica mais feliz de facto.

  E, a longo prazo, a (nossa) proposta é aquele estado de consciência expandida que nos conduzirá ao autoconhecimento".

 

  In  "Entrevista Editada Filósofo De Rose" -  http://selvaurbana.blogs.sapo.pt/2009/09

 

 

 

 


publicado por António Mateus às 14:21
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 15 de Outubro de 2009

FOME ATINGE NÚMEROS RECORDE

 

 

  

   O alerta é das Nações Unidas; o número de pessoas à fome no Mundo deve ultrapassar este ano pela primeira vez a fasquia dos mil milhões!

 

   E o mais chocante é que a esmagadora maioria dessas pessoas reside em alguns dos continentes potencialmente mais ricos do Planeta em termos agrícolas; Ásia-Pacífico e África.

 

   As causas são múltiplas (quanto o seriam as respectivas soluções) mas um facto é que a humanidade continua de costas voltadas para os mais frágeis enquanto prevalece o umbiguismo.

 

   Já não falo das toneladas de alimentos deitados anualmente ao lixo por excederem as chamadas cotas produtivas de blocos económicos.

 

   Um problema alheio? Nem tanto! Já reparou nos “restos” de comida que todos os dias manda para o lixo em casa ou deixa na mesa em restaurantes?

 

   Já reparou nas quantidades pantagruélicas de calorias e produtos redundantes que ingere todos os dias?

 

   Já reparou que uma alimentação inteligente e eco-amiga pode ser a chave para um corpo, uma mente e uma carteira bem mais saudáveis.

 

   Então porquê o autismo intelectual com que todos dias pastamos as refeições, quais ruminadores em rotina de acumulação calórica, precavendo dias de fome?

 

   Amanhã, sexta-feira, assinala-se o dia Mundial da Alimentação! Pense nisso, aja, seja bem mais saudável e ajude os outros a sê-lo.


publicado por António Mateus às 13:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009

CONTINENTE DE AFEIÇÃO

 

   Afinal é tão fácil...ou poderia ser....se o quiséssemos.
 
   O vídeo acima anexo soma-nos as mais diversas sensações e sentimentos.
 
   “Flashes” de referências que cada um de nós guarda dentro de si.
 
   Se tanta gente vive em ilhas de solidão, que tal começar(mos) a pegar numa pázinha interior e fundi-las num continente de afeição?
 

publicado por António Mateus às 16:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 9 de Outubro de 2009

SOMOS O QUE COMEMOS

 

   De amigos se constroi a vida. Gentes que nos somam colectivos. Nos ensinam a olhar para dentro de nós.


   Somos os que fazemos, o que semeamos e também, o que comemos.


   Comecei por ser cético, aos poucos fui sendo “contrabandeadi” para dentro de uma ética de vida diferente.

   Tão diferente que ao princípio, como no anúncio da Coca-cola, “primeiro estranha-se... depois entranha-se”.


   Olhem os sorrisos.
   Obrigado!
 


publicado por António Mateus às 13:17
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 4 de Outubro de 2009

O PODER DO SORRISO

 

 

Saberes emprestados:

 

    "Às vezes, é apenas a questão de “hoje eu cedo e amanhã a outra pessoa vai ceder”. Porque há uma reciprocidade natural entre os seres humanos.

 

   Quando você tem uma atitude cavalheiresca, uma atitude fidalga relativamente a uma pessoa, mesmo que íntima, mesmo que seja um irmão, mesmo que seja um cônjuge, a tendência é que o outro reaja de forma semelhante numa circunstância imediata ou futura.

 

   Certa vez, um amigo meu estava a conduzir muito mal. Fez uma inversão péssima e outro motorista quase abalroou o carro dele; o outro pôs a cabeça de fora e já ia dizer uns impropérios.

 

   O meu amigo fez-lhe um sorriso muito simpático, como quem diz: desculpe, eu errei. O outro meteu a cabeça para dentro e disse: “vai, meu filho, vai!” E não deu briga. O que evitou o confronto? Foi só um sorriso".

 

------------------------------------------------------------------------------------------------

In entrevista de Mestre De Rose - cujo DVD integral será formalmente apresentado em Gala a ter lugar dia 13 de Novembro na Alfândega velha, Porto.

 


publicado por António Mateus às 13:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009

DE ROSE POR UMA PENA

 

 

   "Eu diviso, a curto prazo, pessoas mais felizes e mais saudáveis, com uma qualidade de vida melhor. Porque isto é o que as nossas técnicas proporcionam. Em primeiro lugar, maior qualidade de vida.
 
   A médio prazo, eu vejo prosperidade. A longo prazo, autoconhecimento.
 
   Uma pessoa que tem melhor qualidade de vida, que tem mais tolerância, que sabe lidar com o ser humano, que sabe lidar com seus superiores hierárquicos ou com seus comandados, sabe lidar com seus clientes, com seus fornecedores, sabe lidar com seus amigos e com a sua família, com as suas relações afetivas, essa pessoa está no controle.
 
   Converte-se num líder. Um líder sereno, carismático dentro do seu respectivo ambiente. 
 
   A médio prazo, isso proporciona estabilidade. Estabilidade na relação afectiva, estabilidade na família, estabilidade no trabalho. A conseqüência é a prosperidade".

 

 

(*) Excerto de uma entrevista com o Mestre de Rose cuja versão integral será lançada em Gala a ter lugar no Edifício da Alfândega, no Porto, a 13 de Novembro, sexta-feira à noite. 

 

 


publicado por António Mateus às 16:27
link do post | comentar | favorito

TRANSLATE THIS BLOG TO ANY LANGUAGE

António Mateus

Escritor e jornalista. Nasceu em 1960 em Castelo Branco, filho de uma socióloga e de um Oficial de Cavalaria. Licenciado pela UTL e iniciou a sua actividade jornalística no jornal O Globo em 1982. Continuar a ler (...)

Os meus livros

Selva Urbana, edições Colibri. "Selva Urbana – ponte entre olhares e sensibilidades de dois mundos, duas culturas, dois continentes, situações humanas comuns – é uma sequência de retratos publicados em colunas semanais num jornal diário de cariz económico, Jornal de Negócios (...) Comprar

Homens vestidos de peles diferentes, editora Ulmeiro. Comprar.

pesquisar

 

links

arquivos

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Outubro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds